Férias de verão

Voltar

Ayrton Senna nunca parou de acelerar, mesmo em suas férias. O tricampeão mundial de F-1 sempre voltava às origens para ficar com a família. Um dos seus programas favoritos era brincar com seus sobrinhos. Por isso, até mesmo em dezembro, mês sem corridas na principal categoria do automobilismo mundial, o brasileiro por vezes colocava o macacão e o capacete, mesmo que fosse apenas para brincar de kart com os amigos e familiares.

Bruno era quem mais queria seguir os passos do tio e acabou se tornando um piloto profissional, inclusive também chegando na F-1. O sobrinho conviveu apenas dez anos de sua infância com Ayrton, mas foi tempo suficiente para se tornarem grandes amigos e se divertirem pilotando kart nos finais de semana das férias de verão.

Incentivado pelo avô Milton e por Ayrton, Bruno ganhou um kart com apenas cinco anos e, desde então, não parou de acelerar, apesar de seu tio chamá-lo de “pé de breque” para provocá-lo. O garoto não deixava barato e sempre que podia, respondia: “ele que é pé de breque, o pneu dele só grita de tanta freada”, dizia o jovem Bruno, entrando na brincadeira do tio.

“Beco”, como Ayrton era carinhosamente chamado por Bruno, adorava estar junto com a família. Isso ajudava a relaxar e se preparar para a próxima temporada.

Com as energias recarregadas, Senna sempre voltava para Europa nos primeiros testes de pré-temporada, no final de janeiro, ainda mais preparado para ocupar o seu posto na F-1: o de primeiro colocado.