Noticias

Os bastidores do primeiro contrato de Senna com um time de ponta na F-1: Lotus

11/10/2017

Com diversas vitórias, títulos e recordes nas categorias de base, Ayrton Senna chamou a atenção das grandes equipes antes mesmo de estrear na F-1, em 1984. Com as grandes atuações em seu primeiro ano, em especial no primeiro pódio no GP de Mônaco em maio sob muita chuva, o brasileiro entrou definitivamente no radar dos “top teams” da categoria para o ano seguinte.

E logo em agosto de 1984, Senna garantiu o contrato para correr pela Lotus na temporada de 1985. Para isso, porém, tudo precisava ser confidencial até para que não houvesse um problema de relacionamento com a Toleman no final daquela temporada.

No dia da assinatura do contrato na Inglaterra, Reginaldo Leme, da TV Globo, foi o único jornalista presente e conversou com Senna e Peter Warr, chefe da equipe Lotus. Confira as entrevistas.

Em sua participação no Senna TV, Reginaldo lembrou que precisou assinar um embargo (termo confidencial), em nome da TV Globo, onde o veículo declarava que somente divulgaria a matéria gravada naquele dia após o anúncio oficial da Lotus.

Em outubro de 1984, a Revista Quatro Rodas fez uma reportagem especial contando vários detalhes da história da Lotus e também do momento em que foi feito anúncio oficial para a imprensa internacional no dia 26 de agosto.

Senna acabou sendo pego de surpresa pelo anúncio da Lotus ainda em agosto e o problema foi que justamente naquele dia o brasileiro estava entrando no carro da Toleman para disputar o GP da Holanda, em Zandvoort. “Foi um erro tático”, disse Ayrton, sobre o momento em que a Lotus havia divulgado a contratação do piloto.

Com isso, Senna foi impedido pela Toleman de participar do GP da Itália, em Monza, no dia 9 de setembro. Logo depois disso, tudo foi resolvido e o brasileiro correu nas duas últimas provas da temporada em Nurburgring (Alemanha) e Estoril (Portugal), onde foi o terceiro colocado e fechou sua história de sucesso na Toleman com três pódios.