Grande Prêmio do Japão – 1992

Voltar

Para Ayrton Senna, a corrida em Suzuka foi uma grande decepção. O brasileiro trabalhou muito no acerto do carro para homenagear a Honda com uma vitória naquele último Grande Prêmio do motor em seu país.

Largou em terceiro e seguiu as Williams, mas, quando partiu para o combate, o motor quebrou, ainda na segunda volta.

Retornou a pé para os boxes, sendo muito festejado pela gentil plateia japonesa, como um verdadeiro campeão.

“Aquele povo me emocionava, lamentei não poder retribuir com uma vitória na despedida”

Restou procurar Christian Fittipaldi (Minardi) após a corrida para felicitá-lo pelo primeiro ponto conquistado na Fórmula 1.

Resumo da Corrida

  • 1 N. Mansell
  • 2 R. Patrese
  • 3 Ayrton Senna
  • 4 G. Berger
  • 5 M. Schumacher
  • 6 J. Herbert
  • 7 M. Hakkinen
  • 8 E. Comas
  • 9 A. de Cesaris
  • 10 T. Boutsen
  • 11 N. Larini
  • 12 C. Fittipaldi
  • 13 M. Brundle
  • 14 G. Morbidelli
  • 15 J. Alesi
  • 16 A. Suzuki
  • 17 S. Modena
  • 18 B. Gachot
  • 19 P. Martini
  • 20 U. Katayama
  • 21 O. Grouillard
  • 22 J. Lehto
  • 23 J. Lammers
  • 24 M. Alboreto
  • 25 M. Gugelmin
  • 26 E. Naspetti
Voltas 53
Tempo Ensolarado
Volta mais rápida N. Mansell - 1´40´´646
Podium 1º R. Patrese 2º G. Berger 3º M. Brundle
Carros 26
Abandonos 11

Senna na corrida

Posição de largada 3
Posição final Abandonou (2º volta)
Melhor volta 1’46’’229
Pontos somados para o Campeonato -
Posição no Campeonato após a prova 3
O que disse após a prova
“Aquele povo me emocionava, lamentei não poder retribuir com uma vitória na despedida”