Desde essa época, Ayrton Senna era perfeccionista. Sempre que voltava dos treinos, nos finais de tarde, ele fazia questão de desmontar o kart inteiro, limpando e revisando peça a peça.

Não importava quanto tempo levasse, podia trabalhar na garagem de sua casa até altas horas da noite e só descansava quando o trabalho estivesse concluído.

Das competições que disputou em 1975, Senna ficou com o vice-campeonato em uma das mais importantes da temporada: o Campeonato Brasileiro na categoria Júnior, disputado em Rolândia, no norte do Paraná.

Aos 15 anos, o jovem piloto conquistou o título de maior prestígio na categoria de base do esporte a motor do Brasil: o Paulista de Kart, competição que inclusive ganhava destaque nas páginas da imprensa esportiva da época, já que o automobilismo vivia um momento de grande ascensão no País com os dois títulos de Emerson Fittipaldi na F-1 (1972 e 1974) e a disputa do primeiro GP Brasil da categoria (oficialmente a partir de 1973).

Em uma competição com dez rodadas em datas distribuídas durante o ano (assemelhando-se a um formato de competições por “pontos corridos”, como na F-1), Ayrton saiu como vencedor em cinco provas do Paulista de Kart, além de obter três segundos lugares.

O ano de 1975 também trouxe outros importantes títulos para Ayrton Senna também no kartismo nacional: venceu duas edições do Torneio Canovas, as 50 Milhas de Kart, um Torneio de Verão e o Torneio Nacional Itacolomy.

Títulos conquistados:

  • Vice-campeão Brasileiro na categoria Júnior
  • Campeão do Torneio Nacional Itacolomy categoria Júnior
  • Campeão Paulista na categoria 100cc
  • Duas edições do Torneio Canovas
  • 50 Milhas de Kart
  • Torneio de Verão