Noticias

Verdade ou mito? Veja 10 histórias que marcaram a carreira de Senna

29/03/2018

O 1° de abril é conhecido mundialmente como o “Dia da Mentira”. No automobilismo, a prática de notícias falsas e brincadeiras veiculadas por assessorias de imprensa e tabloides tem virado rotina nos últimos anos.

O site oficial de Ayrton Senna aproveita a data para contar dez histórias que podem parecer mentira, mas que de fato ocorreram na carreira do piloto brasileiro. E outras que poderiam ser até verdade em uma carreira tão impressionante como a do piloto brasileiro, mas que não aconteceram.

1- Senna venceu uma corrida com um carro praticamente sem freios

Verdade. Primeiro, é importante destacar que um carro de corridas totalmente sem freios seria impossível de ser controlado. Mas em Snetterton, na Inglaterra, durante o campeonato de Fórmula Ford de 1982, Senna fez algo que até os mecânicos mais experientes duvidariam ser possível.

Largando na ponta como de costume, o brasileiro descobriu que estava com problemas de freio ao tentar reduzir a velocidade para evitar os destroços que tinham ficado na pista após um toque na primeira volta. Senna acabou perdendo algumas posições e teve que se adaptar ao novo estilo de pilotagem.

No final, Senna conseguiu voltar a liderança e recebeu a bandeirada usando apenas os freios traseiros, tendo que parar o seu monoposto na primeira curva do traçado, próximo aos boxes. Após a prova, o brasileiro relatou o ocorrido e os mecânicos verificaram que o disco de freio dianteiro estava gelado, comprovando que o brasileiro realmente não os tinha utilizado.

2- O “Tema da Vitória” foi criado para as vitórias de Ayrton Senna

Mito. Apesar da música ter ficado imortalizada nas vitórias de Senna, ela foi tocada pela primeira vez para o vencedor do GP Brasil de 1983 – independentemente de qual fosse a nacionalidade do piloto. O tema acabou tocando para um piloto brasileiro: Nelson Piquet. Senna ainda corria na F-3 naquele ano.

No ano seguinte, ela também foi tocada para o vencedor da prova brasileira e desta vez Prost venceu. Só a partir de 1986 a melodia passou a embalar as vitórias brasileiras em todos os GPs, sendo Ayrton o piloto que mais vezes colocou a trilha sonora nas manhãs de domingo.
Crédito: Eduardo Souto Neto / Roupa Nova

3- Senna é considerado o melhor de todos os tempos pelos próprios pilotos de F-1

Verdade. Em dezembro de 2009, a revista inglesa Autosport fez uma eleição com todos os pilotos que já tinham corrido ao menos um GP na F-1 perguntando quem seria o melhor de todos os tempos. Ao todo, 217 votaram e o vencedor foi Ayrton Senna. Michael Schumacher ficou em segundo e Juan Manuel Fangio, em terceiro.

No ano passado, por ocasião do GP da Bélgica, o programa oficial da F-1 fez a mesma pergunta para os 22 pilotos do grid. Senna foi apontado por 11 deles como o seu maior herói nas pistas, sendo quatro dos cinco atuais campeões mundiais de F-1: Sebastian Vettel (piloto da Red Bull, tetracampeão da F-1 em 2013, 2012, 2011 e 2010), Jenson Button (da McLaren, campeão em 2009), Lewis Hamilton (Mercedes, bicampeão em 2008 e 2014) e Fernando Alonso (Ferrari, bicampeão em 2005 e 2006).

4- Senna já venceu corrida na F-1 largando em último

Mito. A pior posição de largada para Ayrton em um das suas 41 vitórias foi a de quinto lugar no GP de Phoenix, em 1990. Ninguém na história da F-1 conseguiu vencer largando da última posição do grid. No GP de Suzuka de 1988, Senna chegou a cair para 14° lugar na primeira volta e mesmo assim saiu como vencedor e campeão daquele ano.

O piloto que chegou mais perto desta façanha (de vencer largando em último) foi John Watson, britânico, que no GP de Long Beach de 1983, largou no 22º lugar e venceu uma prova com 26 carros.

5- Ayrton conseguiu vencer uma corrida de F-1 cruzando a linha de chegada com apenas uma das seis marchas

Verdade. O feito ocorreu no GP do Brasil de 1991 disputado em Interlagos. Na volta 65, Ayrton percebeu que a terceira marcha tinha escapado. O piloto brasileiro tentou engatar a quarta e ela não entrou. A caixa de câmbio estava quebrando. Nas últimas quatro voltas, Senna acelerou apenas com a sexta marcha.

A torcida ficou aflita vendo a diferença diminuir a cada volta e o motivo da queda de performance ainda não era clara para os torcedores. Hoje, é possível ver a câmera onboard de Senna nas últimas voltas e ver que não há movimentos de aumento ou redução de marcha – o câmbio era manual e a alavanca ficava à direita do cockpit.

A épica vitória em Interlagos foi a primeira de Senna em um GP Brasil de F-1. Confira o relato da corrida.

6 – Senna chegou a assinar contrato para correr na Ferrari

Mito, embora tanto a Ferrari quanto o brasileiro tenham chegado a sonhar com esta possibilidade. Senna sempre teve vontade de correr pela Ferrari e chegou a revelar este desejo de encerrar sua carreira pela escuderia de Maranello, como contam os jornalistas da época, como Reginaldo Leme.

O contrato nunca chegou a ser assinado, mas a expectativa do paddock da F-1 é que Senna poderia ser piloto da Ferrari assim que terminasse seu contrato com a Williams.

7-Senna já venceu na F-1 com uma volta de vantagem no segundo colocado

Mito. Mas Senna não ficou longe disso em algumas ocasiões, como em sua primeira vitória na F-1 (Portugal 85), quando chegou a impressionantes 1 minuto e 2 segundos à frente do segundo colocado (Michele Alboreto) e a uma volta à frente do terceiro (Patrick Tambay).

Há quem diga também que esta marca era uma de suas motivações para seguir acelerando forte no GP de Mônaco de 1988, quando perdeu a liderança ao bater na entrada do túnel com quase um minuto de vantagem para seu companheiro de equipe, Alain Prost. Mesmo com a perda de uma vitória, Senna disse que o erro em Mônaco foi fundamental para que ele melhorasse a ponto de conseguir seu primeiro título mundial de F-1, conquistado no GP de Suzuka naquele ano.

8 – Senna fez a melhor volta de um prova passando por dentro do box

Verdade! Por mais sobrenatural que possa parecer, esta foi outra marca da genial corrida de Senna em Donington Park em 1993. Além da magistral primeira volta, passando cinco pilotos para assumir a liderança, o brasileiro passou, na volta 57, pelos boxes, mas não parou para o pit stop.

Como foi uma corrida intensa de troca de pneus – de chuva para seco e vice-versa, a manobra foi entendida como uma falha de comunicação entre Senna e a McLaren – talvez por um problema de rádio ou algo assim.

Como na época não existia limite de velocidade no pit, o brasileiro cravou a melhor volta da corrida usando esta tática. “Eu sabia que por ali era mais rápido, eu fiz para experimentar. Quando me informaram que era a melhor volta da corrida, eu falei ‘OK, se o Prost passar à minha frente, eu vou passar ele por dentro do box’. Só isso”, disse Senna, após a história esfriar.

Logo que a prova foi finalizada, Senna disse que o problema de entrar e passar reto no box foi por causado por uma falha no sistema de rádio. ‘Nosso sistema de rádio este ano esta apresentando grandes problemas, eu não entendo praticamente nada que eles (equipe) me dizem, eles evoluíram o sistema de codificação e acho que acabou prejudicando a qualidade do som. Uma pena. Comunicação com os boxes é fundamental em uma corrida como essa’, explicou Ayrton.

Galvão Bueno, que narrou aquele GP, já falou ao vivo sobre o assunto. “Olha o que passou na cabeça do gênio. Depois da corrida ele disse pra nós (Galvão e Reginaldo Leme). Ele passou ali pra ver o tempo da volta que seria feita por dentro do box, e se ele precisasse passar mais uma vez o Prost na corrida, ele faria por dentro do box. Resultado: é a única corrida da história do automobilismo mundial que a melhor volta da corrida foi realizada por dentro do box”, disse Galvão.

9- Desde sua primeira corrida, Senna foi um mestre na chuva

Mito. Ayrton Senna não teve um bom resultado em sua primeira corrida com pista molhada no kart. O mau desempenho, por sinal, só aumentou sua vontade de ganhar neste tipo de condição. Tanto que, quando os pingos começavam a cair em São Paulo, ele partia justamente para o kart visando treinamentos com a aderência de pista molhada.

Chuva forte no GP de Portugal de 1985, onde Senna venceu pela primeira vez na F-1.

Com tanta dedicação e, claro, muito talento, Senna conseguiu o posto de ser considerado o melhor piloto de todos os tempos na chuva.

10 – Senna já salvou a vida de um piloto no meio da pista na F-1

Verdade. Senna parou a sua McLaren no meio da pista para ser o primeiro a atender Érik Comas, nos treinos livres para o GP da Bélgica de 1992. Comas bateu forte contra o muro e Ayrton não teve dúvida: parou seu carro e saiu correndo em direção a Ligier. O carro vazava combustível e poderia explodir a qualquer momento, enquanto o francês estava desacordado. Senna desligou o motor e, assim, evitou consequências ainda mais graves – a história foi relembrada neste ano em um especial promovido pela Allianz. Confira aqui.