Noticias

As homenagens a Ayrton Senna que marcaram o GP do Brasil de F1

03/12/2019

O GP do Brasil de F1 da temporada 2019 ficou marcado na história por diversos fatores. Além de Interlagos ter sido palco de uma das corridas mais emocionantes dos últimos anos, esta edição ainda celebrou o legado de 25 anos de Ayrton Senna.

Foram diversas homenagens ao tricampeão mundial de F1 e vamos relembrar algumas delas abaixo:

Bruno Senna acelerando a McLaren MP4/4

Sobrinho de Ayrton, Bruno Senna participou de uma das principais homenagens a Ayrton em 2019. O piloto teve a honra de guiar um dos carros mais especiais da carreira de seu tio: a McLaren MP4/4 de 1988, máquina que triunfou em 15 das 16 provas daquele ano, além de conquistar 13 poles.

Foi justamente com esse carro que Senna conseguiu o seu primeiro título mundial após um duelo emocionante com Alain Prost na temporada 1988.

Heineken F1 Festival – Senna Tribute

Uma semana antes do GP do Brasil de Fórmula 1, o Heineken F1 Festival – Senna Tribute reuniu milhares de fãs no Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo (SP), para celebrar os 25 anos do legado de Ayrton. O evento emocionou o público e trouxe grandes estrelas convidadas para acelerar os carros históricos de Ayrton Senna, como Emerson Fittipaldi, Felipe Massa, Pietro Fittipaldi, Caio Collet e Esteban Gutiérrez.

O ponto alto da festa foi a exibição dos carros de Senna: o Toleman modelo TG184, usado pelo piloto brasileiro em sua primeira temporada na F1, em 1984, e a icônica Lotus modelo 97T, carro que lhe deu a primeira vitória na categoria, em Estoril, Portugal, no dia 21 de abril de 1985.

O público também vibrou com os modelos da F1 moderna, com as equipes Mercedes AMG Petronas Motorsport e Renault F1 Team, além do Mercedes 190E, com o qual Senna venceu o GP de reinauguração de Nurburgring em 1984 que reuniu um dos grids mais estrelados de todos os tempos, com Niki Lauda, Alain Prost, Keke Rosberg, James Hunt, Graham Hill e etc

Vettel no Instituto Ayrton Senna

Foto: Wolfgang Wilhelm

Na semana do GP do Brasil de Fórmula 1, o tetracampeão mundial de F1 Sebastian Vettel fez uma visita “surpresa” ao Instituto Ayrton Senna em São Paulo. O alemão, que atualmente é piloto da Ferrari, pôde ver de perto vários itens históricos de Ayrton, incluindo a McLaren de 1990, carro com que Senna foi bicampeão mundial.

Vettel ainda ganhou presentes da família Senna após ser recebido por Viviane e Bianca, sendo um deles uma pulseira com as cores do capacete de Ayrton. O alemão exibiu a pulseira em todo o final de semana da F1 durante o GP do Brasil, usando ela inclusive sobre a manga do macacão em Interlagos, e também fez questão de conferir de perto o McLaren de 1988.

Daniel Ricciardo com Boné da Nacional

Reprodução/Twitter

Piloto da Renault na F1, o australiano Daniel Ricciardo chegou ao Autódromo de Interlagos, no dia do GP do Brasil, com o clássico boné do Banco Nacional. O histórico boné azul, assim como o capacete, foi uma das peças mais icônicas de Senna durante sua carreira na F1.

Capacete de Pietro Fittipaldi

Capacete de Pietro Fittipaldi em homenagem a Ayrton Senna.

Piloto de testes da Haas na Fórmula 1, Pietro Fittipaldi foi um dos grandes nomes que homenagearam Ayrton Senna no Heineken F1 Festival – Senna Tribute. O brasileiro ainda preparou um capacete especial, desenhado por Raí Caldato e criado pelo estúdio Sid Mosca.

A peça em homenagem a Senna mesclou traços caraterísticos dos capacetes da família Fittipaldi com o capacete de Ayrton Senna. A combinação foi bastante elogiada pelos fãs.

Encontro da família Senna

Foto: Rodrigo França/RF1

Para acompanhar o GP do Brasil e a volta de Bruno Senna com a McLaren MP4/4, a família Senna se reuniu no Autódromo de Interlagos, assim como fazia nos tempos do tricampeão na F1. Viviane (irmã), Leonardo (irmão), Bruno (sobrinho), Bianca e Paula (sobrinhas) ficaram visivelmente emocionados com todas as diversas homenagens feitas a Ayrton durante o mês de novembro, principalmente no domingo da corrida.

Helicóptero especial

Divulgação/ Helisul

O helicóptero da transmissão oficial da F1 foi adesivado nas cores icônicas do capacete de Ayrton Senna. As imagens aéreas da corrida foram geradas pela câmera colocada no helicóptero, que sobrevoou por Interlagos nos três dias do evento.