Noticias

A admiração de Ayrton Senna por outra lenda da F1: Jim Clark

26/02/2019

Bicampeão mundial de Fórmula 1 (1963 e 1965), Jim Clark foi um dos maiores pilotos de todos os tempos e uma das principais fontes de inspiração para Ayrton Senna no automobilismo.

O brasileiro não teve a oportunidade de conhecer o escocês, mas em fevereiro de 1991, ano do seu tricampeonato, o então piloto da McLaren foi ao “Jim Clark Room”, uma casa com um acervo histórico do piloto britânico, localizada em Duns (Escócia).

Como visitante, Ayrton assinou o livro de visitas do museu e pôde admirar os troféus, macacões e outros diversos itens daquele que foi o recordista de poles position até a chegada do próprio Senna na F1. O museu foi fechado em 31 de maio de 2018 para reformas, mas está programado de reabrir ainda no meio de 2019.

Também em fevereiro de 1991, Senna fez uma visita na escola em que Clark estudou entre 1949 e 1952, local que ainda tinha homenagens ao lendário piloto nas paredes. Senna reuniu-se com os alunos no teatro do colégio e respondeu algumas perguntas, várias delas relacionadas com sua carreira, mas uma delas acabou chamando atenção: “Senna, como você consegue conciliar religião com a F1?”

Confira a resposta abaixo do piloto no vídeo:

“Eu tive uma experiência muito boa hoje quando cheguei na escola, porque fui levado para a capela – a qual vocês todos conhecem. Falar sobre religião é um ponto delicado, é muito difícil e muito fácil de ser mal entendido. Mas para mim é um fato”, respondeu Senna. “Não é apenas lendo a Bíblia, onde você lê em preto e branco, mas eu me esforço para entender a vida através de Deus. Isso significa todos os dias da minha vida. Não só quando estou em casa, mas também quando estou fazendo meu trabalho”, completou.

Ayrton Senna com o aluno Daniel Davidson na Escola Loretto em Musselburgh (Escócia) – 1991