Noticias

O dia em que Ayrton Senna rompeu a barreira do som em um caça da Força Área Brasileira

29/03/2019

Logo depois do GP do Brasil de 1989, Ayrton Senna teve a chance de andar em uma máquina mais veloz que sua McLaren: era um avião de caça. O piloto de automobilismo foi convidado pela Força Área Brasileira (FAB) em 1989 para um voo de exibição em Anápolis (GO), sob as orientações do Tenente- Coronel-Aviador Alberto de Paiva Côrtes. Ayrton já havia realizado um voo em avião de caça em 1987 no Rio de Janeiro, mas desta vez receberia cobertura total da imprensa, inclusive televisiva.

O voo ocorreu em 29 de março daquele ano, seis meses depois da conquista do primeiro título mundial de Ayrton Senna. A aeronave era um Mirage III, modelo F-103D, que possuía itens bastante complexos para a época como o assento ejetável, além um forte sistema de oxigênio e de comunicação para o piloto e copiloto, que no caso era Senna.

O caça, criado em 1972 e desativado em 2005, era capaz de atingir até 2.350 km/h e hoje encontra-se no Museu Aeroespacial do Rio de Janeiro, segundo informações do Portal Terra.

As experiências com as aeronaves ficaram tão guardadas na cabeça de Ayrton, literalmente: Sid Mosca, responsável pela customização dos capacetes do piloto, desenhou um modelo especial com dois aviões grafados no topo do seu icônico capacete.

Confira a reportagem da TV Globo sobre a experiência inesquecível de Senna.