Notícias

O dia em que Senna estreou seu icônico capacete amarelo

O Mundial de Kart deste ano será disputado na Suécia neste final de semana, no circuito de Kristianstad. Há 39 anos, justamente nesta competição, Ayrton Senna utilizou seu icônico capacete amarelo pela primeira vez. O campeonato foi realizado entre os dias 18 e 23 de setembro de 1979 no Kartódromo de Estoril, em Portugal.

Alguns dias antes da viagem à Europa, Senna e a delegação brasileira procuraram Sid Mosca, responsável pelas pinturas de grandes pilotos da Fórmula 1, para definirem o layout dos capacetes dos pilotos brasileiros. Naquela época, cada país tinha sua própria pintura, portanto todos os competidores do Brasil usaram o mesmo layout, conforme exigia o regulamento do certame.

Em Portugal, houve empate por pontos entre Senna e seu companheiro de equipe da DAP, o holandês Peter Koene. Em uma decisão controversa, Koene foi declarado campeão, enquanto Senna ficou com o vice-campeonato. De acordo com a equipe brasileira, em caso de igualdade de pontos seria levado em consideração o confronto direto na última das três finais, prova que Ayrton venceu com boa margem para os adversários.

A organização do Mundial, por outro lado, teve uma interpretação diferente do regulamento: o título seria de Koene graças ao resultado das semifinais, onde ele havia terminado em quarto lugar, enquanto Senna foi o oitavo. Nesta prova, o brasileiro era o segundo colocado até perto das voltas finais, quando o líder da prova teve um problema com o kart na frente de Ayrton, que não teve tempo de desviar da colisão e ambos rodaram.

Ao retornar ao Brasil, o piloto logo conversou com Sid para que fizesse daquela pintura uma marca própria, que ficaria eternizada pelo próprio Ayrton nas competições de kart, Fórmula Ford, F-3 e F-1. Assim, Senna pode até não ter ficado com a taça de campeão do mundial daquele ano – mas ganhou naquela competição a sua mais importante identidade nas pistas.

Confira mais detalhes do capacete de Ayrton Senna nos dois programas do Senna TV com Alan Mosca, filho de Sid Mosca e que segue o trabalho iniciado pelo pai.