Grande Prêmio da África do Sul – 1985

Voltar

Ayrton Senna chegou à África do Sul, cujo circuito está numa altitude própria para motores turbo, cheio de esperança.

Foi o piloto que mais rodou nos treinos livres e na classificação. No entanto, se o carro se mantivesse estável como nas últimas corridas, poderia estar no pódio novamente.

Mas a esperança logo se desfez. Seu motor Renault mostrou-se inferior aos demais turbos e não permitiu nada melhor do que a segunda fila no grid, na quarta colocação. Largou atrás das duas Williams e da Brabham de Nelson Piquet.

Durante a corrida, o carro não resistiu mais do que 10 minutos, quebrando na oitava volta. Enquanto observava a prova sentado em um guard rail no meio do circuito, Ayrton Senna desabafou:

“Parece que eu vim aqui participar de um safari e não de uma corrida”

A temporada já estava quase no fim, mas havia ainda uma última corrida na Austrália.

Resumo da Corrida

  • 1 N. Mansell
  • 2 N. Piquet
  • 3 K. Rosberg
  • 4 Ayrton Senna
  • 5 M. Surer
  • 6 E. de Angelis
  • 7 T. Fabi
  • 8 N. Lauda
  • 9 A. Prost
  • 10 T. Boutsen
  • 11 G. Berger
  • 12 R. Patrese
  • 13 P. Ghinzani
  • 14 E. Cheever
  • 15 M. Alboreto
  • 16 S. Johansson
  • 17 M. Brundle
  • 18 P. Streiff
  • 19 P. Martini
  • 20 H. Rothengatter
Voltas 75
Tempo Ensolarado
Volta mais rápida K. Rosberg - 1´08´´149
Podium 1º N. Mansell 2º K. Rosberg 3º A. Prost
Carros 20
Abandonos 13