Grande Prêmio de Portugal – 1985

Voltar

Após a estreia pela Lotus no Grande Prêmio do Brasil, em Jacarepaguá, “boas” condições climáticas esperavam por Ayrton Senna em Portugal. Boas, claro, para um piloto bom em pista molhada como o brasileiro. Foi em Estoril onde o piloto brasileiro conquistou a sua primeira vitória na Fórmula 1 – e um triunfo que não poderia ser mais completo.

Ainda nos treinos classificatórios, Senna começou o roteiro que virou quase um script definitivo para suas conquistas na F-1: estabeleceu uma pole position espetacular, meio segundo à frente de Alain Prost que era certamente um dos favoritos ao primeiro lugar com sua equilibrada McLaren, que no ano anterior, em 1984, havia sido campeã de construtores e fez a dobradinha entre os pilotos, com Niki Lauda campeão e o francês vice.

Com sua Lotus 97T, Senna cravou a marca de 1min21s007. Era a sua primeira pole na categoria, evento que iria se repetir outras 64 vezes, marca que ajudou o brasileiro a construir sua reputação como o piloto mais rápido da F-1 de todos os tempos.

Quando começou a corrida, Ayrton Senna não deu chances a ninguém e venceu de ponta a ponta, abrindo uma sólida vantagem desde o começo, marcando também a volta mais rápida. Só faltou colocar uma volta no segundo colocado, o que, neste caso, não se trata de mera figura de linguagem.

Afinal, o italiano Michele Alboreto levou sua Ferrari ao segundo posto a exatos um minuto e dois segundos de Senna, uma eternidade em se tratando de F-1. O terceiro colocado, Patrick Tambay, com Renault, levou uma volta e a partir do quinto colocado, o inglês Nigel Mansell, com a Williams, todos tinham pelo menos duas voltas de desvantagem em relação ao brasileiro.

“Perdi as vezes em que estive a ponto de quase bater em outro carro. As condições da pista estavam muito perigosas. Dez vezes pior do que o ano passado. Hoje é um dia muito feliz para mim, tive muita sorte de poder segurar o carro em linha reta”, disse Ayrton Senna em entrevista à Folha de S. Paulo no dia 21 de abril de 1985, após a corrida.

Sob um temporal que levou 13 dos 26 pilotos que largaram a cometer rodadas espetaculares, o impressionante desempenho do piloto brasileiro levou a publicação inglesa Motoring News a escrever que “Senna deslizava, navegando seguro como um experiente timoneiro numa pista cheia de armadilhas, enquanto outros pilotos veteranos naufragaram na aquaplanagem”.

Depois do show em Mônaco, em 1984, o Grande Prêmio de Portugal consagrou enfim o Ayrton Senna da Chuva, o melhor piloto da história da Fórmula 1 em pista molhada.

Com o resultado, Senna iria para nove pontos no campeonato e empatava com a Alain Prost, da McLaren, na vice-liderança. Michele Alboreto, da Ferrari, era o primeiro com 12 pontos. Foi também o primeiro triunfo da tradicional equipe Lotus em três anos.

A última vitória havia sido no GP da Áustria de 1982 (com o italiano Elio de Angelis), e a penúltima fora em 1978 (com o norte-americano Mario Andretti), mostrando que Senna foi o principal responsável por levar novamente o tradicional time ao topo do pódio nos três anos seguintes (1985 a 1987).

Resumo da Corrida

  • 1 Ayrton Senna
  • 2 A. Prost
  • 3 K. Rosberg
  • 4 E. de Angelis
  • 5 M. Alboreto
  • 6 D. Warwick
  • 7 N. Lauda
  • 8 A. de Cesaris
  • 9 N. Mansell
  • 10 N. Piquet
  • 11 S. Johansson
  • 12 P. Tambay
  • 13 R. Patrese
  • 14 E. Cheever
  • 15 M. Winkelhock
  • 16 T. Boutsen
  • 17 G. Berger
  • 18 J. Laffite
  • 19 F. Hesnault
  • 20 P. Alliot
  • 21 S. Bellof
  • 22 M. Brundle
  • 23 J. Palmer
  • 24 M. Baldi
  • 25 P. Martini
  • 26 P. Ghinzani
Voltas 67
Tempo Chuvoso
Volta mais rápida A. Senna - 1´44´´121
Podium 1º Ayrton Senna 2º M. Alboreto 3º P. Tambay
Carros 26
Abandonos 17