Grande Prêmio da Austrália – 1986

Voltar

O Grande Prêmio da Austrália corroborou para a tese de Ayrton Senna sobre o motor que equipava a sua Lotus:

“O motor Renault é potente para uma volta, porém, frágil para suportar as exigências de um Grande Prêmio”

Durante os treinos, o piloto brasileiro conseguiu a terceira colocação para o grid de largada. Nada mau para as poucas pretensões que mantinha na última prova da temporada.

E, quando chegou a hora da corrida, o motor Renault deixou o piloto na mão novamente, quebrando na 43a volta.

As atenções do dia ficaram para a vitória de Alain Prost que, devido ao abandono de Nigel Mansell na 63a volta, sagrou-se campeão mundial mais uma vez, estragando a festa da Williams, que esperava faturar a dobradinha de títulos de pilotos e construtores.

Ayrton Senna fechou o campeonato de 1986 em quarto lugar, com 55 pontos, atrás do campeão Alain Prost (McLaren), Nigel Mansell e Nelson Piquet (Williams). Ele se despediu dos motores Renault. Em 1987, a Honda passou a equipar a sua Lotus, que também mudou de cor – de preta para amarela.

Resumo da Corrida

  • 1 N. Mansell
  • 2 N. Piquet
  • 3 Ayrton Senna
  • 4 A. Prost
  • 5 R. Arnoux
  • 6 G. Berger
  • 7 K. Rosberg
  • 8 P. Alliot
  • 9 M. Alboreto
  • 10 P. Streiff
  • 11 A. de Cesaris
  • 12 S. Johansson
  • 13 T. Fabi
  • 14 J. Drumfries
  • 15 A. Jones
  • 16 M. Brundle
  • 17 P. Tambay
  • 18 A. Nannini
  • 19 R. Patrese
  • 20 D. Warwick
  • 21 J. Palmer
  • 22 T. Boutsen
  • 23 H. Rothengatter
  • 24 C. Danner
  • 25 P. Ghinzani
  • 26 A. Berg
Voltas 82
Tempo Nublado
Volta mais rápida N. Piquet - 1´20´´787
Podium 1º A. Prost 2º N. Piquet 3º S. Johansson
Carros 26
Abandonos 14

Senna na corrida

Posição de largada 3
Posição final Abandonou (43ª volta)
Melhor volta 1’24’’149
Pontos somados para o Campeonato -
Posição no Campeonato após a prova 4
O que disse após a prova
-