Grande Prêmio do Canadá – 1986

Voltar

Ayrton Senna sempre gostou da pista canadense. Ela não é veloz, mas desafia o piloto com suas retas curtas, freadas fortes e chicanes traiçoeiras, levando a retomadas difíceis.

Explorando essas características, o piloto brasileiro conquistou o segundo lugar no grid durante a classificação, com um tempo apenas 0,70 milésimos acima da Williams de Nigel Mansell.

Já durante a prova, Ayrton Senna não conseguiu atacar Mansell e fez uma corrida de defesa de sua posição. Manteve o segundo lugar por muitas voltas, mas sucumbiu à performance mais lenta da Lotus no fim de semana e terminou em quarto.

Sobre a corrida, Ayrton Senna declarou:

“Fiz uma corrida olímpica, na base do importante é competir. Isso porque com meia dúzia de voltas meu carro ficou muito desequilibrado. Foi um pouco mais emocionante do que andar de táxi”

Resumo da Corrida

  • 1 N. Mansell
  • 2 Ayrton Senna
  • 3 N. Piquet
  • 4 A. Prost
  • 5 R. Arnoux
  • 6 K. Rosberg
  • 7 G. Berger
  • 8 J. Laffite
  • 9 R. Patrese
  • 10 D. Warwick
  • 11 M. Alboreto
  • 12 T. Boutsen
  • 13 A. Jones
  • 14 P. Tambay
  • 15 T. Fabi
  • 16 J. Drumfries
  • 17 P. Streiff
  • 18 S. Johansson
  • 19 M. Brundle
  • 20 A. Nannini
  • 21 A. de Cesaris
  • 22 J. Palmer
  • 23 P. Ghinzani
  • 24 H. Rothengatter
  • 25 C. Danner
Voltas 69
Tempo Ensolarado
Volta mais rápida N. Piquet - 1´25´´443
Podium 1º N. Mansell 2º A. Prost 3º N. Piquet
Carros 25
Abandonos 12

Senna na corrida

Posição de largada 2
Posição final 5
Melhor volta 1’27’’503
Pontos somados para o Campeonato 2
Posição no Campeonato após a prova 3
O que disse após a prova
"Fiz uma corrida olímpica, na base do importante é competir. Isso porque com meia dúzia de voltas meu carro ficou muito desequilibrado. Foi um pouco mais emocionante do que andar de táxi”