Grande Prêmio do Brasil – 1989

Voltar

Para conseguir a sua primeira vitória “em casa”, Ayrton Senna tinha na ponta de língua o carro que precisaria para andar bem no circuito de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro:

 

“Além de veloz, tem que estar bem equilibrado e resistente, porque o traçado é exigente e o calor, desgastante”

Buscando o melhor acerto de sua McLaren, e trazendo na bagagem o título mundial de pilotos conquistado na temporada anterior, Ayrton Senna acelerou nos treinos de classificação e conquistou a sua 30a pole position da carreira, para delírio do público brasileiro.

Na corrida, entretanto, largou mal e chegou embolado na primeira curva com Riccardo Patrese (Williams), segundo no grid, e Gerhard Berger (Ferrari), terceiro.

A pista ficou estreita. Patrese fechou Ayrton Senna, que foi para cima de Berger. O austríaco, mesmo com duas rodas na grama, manteve a trajetória.

Resultado: Patrese escapou ileso, Berger teve a Ferrari destruída e Ayrton Senna, apesar de ter perdido o bico do carro, conseguiu chegar aos boxes para reparar a McLaren e voltar à pista.

Sem se envolver no acidente, Nigel Mansell foi o dono da festa. Venceu na estreia da temporada e na sua primeira corrida pela Ferrari. Maurício Gugelmin (March) chegou em terceiro e fez as honras da casa, emplacando seu primeiro e único pódio da Fórmula 1.

Prejudicado pela confusão na primeira curva, Ayrton Senna ainda descontou uma volta e fechou em 11º, a duas do vencedor. Uma pena, porque o acerto da McLaren realmente estava impecável:

“Foi pena ter batido, porque o carro estava bom. É competitivo e resistente. Acho que podemos provar isso em San Marino”

Resumo da Corrida

  • 1 Ayrton Senna
  • 2 R. Patrese
  • 3 G. Berger
  • 4 T. Boutsen
  • 5 A. Prost
  • 6 N. Mansell
  • 7 I. Capelli
  • 8 D. Warwick
  • 9 N. Piquet
  • 10 J. Herbert
  • 11 A. Nannini
  • 12 M. Gugelmin
  • 13 M. Brundle
  • 14 S. Modena
  • 15 A. de Cesaris
  • 16 P. Martini
  • 17 C. Danner
  • 18 J. Palmer
  • 19 N. Larini
  • 20 M. Alboreto
  • 21 S. Nakajima
  • 22 O. Grouillard
  • 23 L. Perez-Sala
  • 24 E. Cheever
  • 25 B. Schneider
  • 26 P. Alliot
Voltas 61
Tempo Ensolarado
Volta mais rápida R. Patrese - 1´32´´507
Podium 1º N. Mansell 2º A. Prost 3º M. Gugelmin
Carros 26
Abandonos 11

Senna na corrida

Posição de largada 1
Posição final 11
Melhor volta 1’33’’685
Pontos somados para o Campeonato -
Posição no Campeonato após a prova 7
O que disse após a prova
“Foi pena ter batido, porque o carro estava bom. É competitivo e resistente. Acho que podemos provar isso em San Marino”