Grande Prêmio da França – 1990

Voltar

O campeonato estava bem equilibrado, assim como a condição das máquinas para o Grande Prêmio da França.

Ferrari e McLaren brigaram até o fim da classificação pela pole position, que ficou com Nigel Mansell. Gerhard Berger sairia em segundo, Ayrton Senna em terceiro e Alain Prost em quarto.

Na corrida, a surpresa foi a Leyton House, com Ivan Capelli e Mauricio Gugelmin, que usou a estratégia de não parar para a troca de pneus. Assim, os pilotos conquistaram a liderança da prova. Enquanto Gugelmin teve problemas no motor, parando na 58a volta, Capelli terminou na segunda colocação, sendo superado por Prost nas últimas voltas do Grande Prêmio da França.

O francês, assim, vencia em casa novamente.

Ayrton Senna liderou por duas voltas e segurou-se firme na terceira posição, numa corrida em que as condições não foram favoráveis. Restou consolar-se com o pódio e os pontos para o Campeonato:

“Corri para os pontos. Pelas circunstâncias, quatro estão de bom tamanho. Eu e o carro não merecíamos mais de dois”

Resumo da Corrida

  • 1 N. Mansell
  • 2 G. Berger
  • 3 Ayrton Senna
  • 4 A. Prost
  • 5 A. Nannini
  • 6 R. Patrese
  • 7 I. Capelli
  • 8 T. Boutsen
  • 9 N. Piquet
  • 10 M. Gugelmin
  • 11 E. Bernard
  • 12 P. Alliot
  • 13 J. Alesi
  • 14 A. Suzuki
  • 15 S. Nakajima
  • 16 D. Warwick
  • 17 M. Donnelly
  • 18 M. Alboreto
  • 19 N. Larini20 S. Modena
  • 20 S. Modena
  • 21 A. de Cesaris
  • 22 A.Caffi
  • 23 P. Martini
  • 24 E. Pirro
  • 25 D. Brabham
  • 26 Y. Dalmas
Voltas 80
Tempo Ensolarado
Volta mais rápida N. Mansell - 1´08´´012
Podium 1º A. Prost 2º I. Capelli 3º Ayrton Senna
Carros 26
Abandonos 7

Senna na corrida

Posição de largada 3
Posição final 3
Melhor volta 1’08’’573
Pontos somados para o Campeonato 4
Posição no Campeonato após a prova 1
O que disse após a prova
“Corri para os pontos. Pelas circunstâncias, quatro estão de bom tamanho. Eu e o carro não merecíamos mais de dois”