Grande Prêmio de San Marino – 1993

Voltar

Ayrton Senna saiu do carro logo depois do warm up, no domingo, olhou para o céu nublado, riu e balbuciou:

“Hoje vai ter baile”

O regulamento estreitou os pneus para 1993 e os pilotos precisavam de maior habilidade nas curvas, porque a dirigibilidade ficou prejudicada, principalmente em pista molhada. Por isso, o piloto brasileiro estava animado para a corrida, mesmo largando na quarta posição.

Ayrton Senna foi muito rápido e liderou a corrida enquanto choveu em Imola. Quando a pista secou e todos os carros pararam para colocar pneus slick, as coisas ficaram mais difíceis para o brasileiro.

Ele fez o milagre de resistir ao assédio de Alain Prost com uma Williams mais bem equilibrada e com maior potência do motor Renault. Mas a corrida terminou precocemente quando uma pane hidráulica parou a McLaren na 41a volta.

Daí em diante foi fácil para Prost vencer e empatar o campeonato em duas vitórias com o brasileiro.

Resumo da Corrida

  • 1 A. Prost
  • 2 D. Hill
  • 3 M. Schumacher
  • 4 Ayrton Senna
  • 5 K. Wendlinger
  • 6 M. Andretti
  • 7 M. Blundell
  • 8 G. Berger
  • 9 J. Alesi
  • 10 M. Brundle
  • 11 R. Patrese
  • 12 J. Herbert
  • 13 R. Barrichello
  • 14 P. Alliot
  • 15 D. Warwick
  • 16 J. Lehto
  • 17 E. Comas
  • 18 A. de Cesaris
  • 19 T. Boutsen
  • 20 A. Zanardi
  • 21 A. Suzuki
  • 22 U. Katayama
  • 23 C. Fittipaldi
  • 24 L. Badoer
  • 25 F. Barbazza
Voltas 61
Tempo Chuvoso
Volta mais rápida A. Prost - 1´26´´128
Podium 1º A. Prost 2º M. Schumacher 3º M. Brundle
Carros 25
Abandonos 16

Senna na corrida

Posição de largada 4
Posição final Abandonou (42º volta)
Melhor volta 1’27’’490
Pontos somados para o Campeonato -
Posição no Campeonato após a prova 1
O que disse após a prova
“Estávamos indo muito bem até a falha hidráulica” (FORIX)