Grande Prêmio do Canadá – 1993

Voltar

“Pódio, nem pensar”

Ayrton Senna não confiava em bons resultados no Canadá, apesar das boas vitórias na temporada.

O desânimo do piloto com o motor Ford era grande. Sem potência, não permitiu nada mais do que o oitavo lugar no grid. Uma posição que Ayrton Senna não experimentava desde 1987, com a Lotus.

Como não havia remédio, foi à luta. Tinha força e motivação para melhorar o resultado final e partiu. Passou a Ligier de Martin Brundle, as Ferrari de Jean Alesi e Gerhard Berger, as Benetton de Riccardo Patrese e Michael Schumacher e colocou as Williams no campo de visão.

Espertos, Alain Prost e Damon Hill trocaram de posição e aumentaram o ritmo. O francês venceu novamente. Ayrton Senna parou a sete voltas do final e esbravejou:

“Ah, um segundo me garantiria a liderança do campeonato e cheguei a sonhar com ele. Mas na Fórmula 1, até para sonhar é preciso ter equipamento e o meu me deixou a pé”

Resumo da Corrida

  • 1 A. Prost
  • 2 D. Hill
  • 3 M. Schumacher
  • 4 R. Patrese
  • 5 G. Berger
  • 6 J. Alesi
  • 7 M. Brundle
  • 8 Ayrton Senna
  • 9 K. Wendlinger
  • 10 M. Blundell
  • 11 J. Lehto
  • 12 M. Andretti
  • 13 E. Comas
  • 14 R. Barrichello
  • 15 P. Alliot
  • 16 A. Suzuki
  • 17 C. Fittipaldi
  • 18 D. Warwick
  • 19 A. de Cesaris
  • 20 J. Herbert
  • 21 A. Zanardi
  • 22 U. Katayama
  • 23 F. Barbazza
  • 24 T. Boutsen
  • 25 L. Badoer
Voltas 69
Tempo Nublado
Volta mais rápida M. Schumacher - 1´21´´500
Podium 1º A. Prost 2º M. Schumacher 3º D. Hill
Carros 25
Abandonos 7

Senna na corrida

Posição de largada 8
Posição final Abandonou (62º volta)
Melhor volta 1’22’’015
Pontos somados para o Campeonato -
Posição no Campeonato após a prova 2
O que disse após a prova
“Ah, um segundo me garantiria a liderança do campeonato e cheguei a sonhar com ele. Mas na F 1, até para sonhar é preciso ter equipamento e o meu me deixou a pé”